sábado, 30 de junho de 2012

Movimentos de Cultura Digital

Movimentos de Cultura Digital

Cultura Livre

Cultura Livre



Compartilhamento

Compartilhamento

Cibercultura

Cibercultura


Software Livre


Cultura Digital

Cultura Digital

Exemplos de zines, e-zines,

Conheça alguns links com exemplos de zines, e-zines, como, porquê e por quem são feitos:
  • ZINESCÓPIO Um projeto sério que digitaliza os fanzines de sua autoria, recebe material do país inteiro e está montando aos poucos uma biblioteca de zines.
  • 1º ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICAÇÕES Um guia completo para editores e leitores de fanzines, mais de 120 resenhas, entrevistas e matérias sobre o tema

As perguntas: o segredo de uma notícia bem construída

As perguntas: o segredo de uma notícia bem construída

Uma fórmula  simples

Para contar um fato ou uma história ou um causo ou até mesmo inventa um conto ou romance ou filme, sempre é bom responder algumas perguntas.
Quem? Como?
O que? Por que?
Onde? Qual é o contexto?
Quando? E daí?

Midias

Projeto Donos da Mídia: www.donosdamidia.com.br
Indecs www.indecs.org.br
CrisBrasil www.crisbrasil.org.br
FNDC www.fndc.org.br

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Entrada de Arceburgo


Velhos ditados na Era Digital

  1. A pressa é inimiga da conexão.
  2. Amigos, amigos, senhas à parte.
  3. Antes só, do que em chats aborrecidos.
  4. A arquivo dado não se olha o formato.
  5. Diga-me que chat freqüentas e te direi quem és.
  6. Para bom provedor uma senha basta.
  7. Não adianta chorar sobre arquivo deletado.
  8. Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse.
  9. Em terra off-line, quem tem 486 é rei.
  10. Hacker que ladra, não morde.
  11. Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.
  12. Mouse sujo se limpa em casa.
  13. Melhor prevenir do que formatar.
  14. O barato sai caro. E lento.
  15. Quando a esmola é demais, o santo desconfia que tem vírus anexado.
  16. Quando um não quer, dois não teclam.
  17. Quem ama um 486, Pentium 5 lhe parece.
  18. Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.
  19. Quem envia o que quer, recebe o que não quer.
  20. Quem não tem banda larga, caça com modem.
  21. Quem nunca errou, que aperte a primeira tecla.
  22. Quem semeia e-mails, colhe spams.
  23. Um é pouco, dois é bom, três é chat ou lista virtual.
  24. Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.
  25. Diga-me que computador tens e direi quem és.
  26. Há dois tipos de pessoas na informática. Os que perderam o HD e os que ainda vão perder...
  27. O problema do computador é o USB (Usuário Super Burro).
  28. Na informática nada se perde, nada se cria. Tudo se copia... e depois se cola.
  29. O Natal das pessoas viciadas em computador é diferente. No dia 25 de Dezembro, o Papai Noel desce pelo cabo de rede, sai pela porta serial e diz: Feliz Natal, ROM, ROM, ROM!

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Biblioteca Municipal





As escolas não são públicas. E privatizar não resolve


As escolas não são públicas. E privatizar não resolve
Gustavo Ioschpe
Veja, publicado em 24 de junho de 2012

Leonardo Boff
Congresso em Foco, publicado em 06 de maio de 2012
***
A sustentabilidade, um dos temas centrais da Rio+20, não acontece mecanicamente. Resulta de um processo de educação pela qual o ser humano redefine o feixe de relações que entretém com o Universo, com a Terra, com a natureza, com a sociedade e consigo mesmo dentro dos critérios de equilíbrio ecológico, de respeito e amor à Terra e à comunidade de vida, de solidariedade para com as gerações futuras e da construção de uma democracia sócio-ecológica sem fim.
Estou convencido de que somente um processo generalizado de educação pode criar novas mentes e novos corações, como pedia a Carta da Terra, capazes de fazer a revolução paradigmática exigida pelo risco global sob o qual vivemos. Como repetia com frequência Paulo Freire: “a educação não muda o mundo, mas muda as pessoas que vão mudar o mundo”. Agora todas as pessoas são urgidas a mudar. Não temos outra alternativa: ou mudamos ou conheceremos a escuridão.
Não cabe aqui abordar a educação em seus múltiplos aspectos tão bem formulados em 1996 pela UNESCO: aprender a conhecer, a fazer, a ser e a viver juntos; eu acrescentaria aprender a cuidar da Mãe Terra e de todos os seres.
Mas este tipo de educação é ainda insuficiente. A situação mudada do mundo exige que tudo seja ecologizado, isto é, cada saber deve prestar a sua colaboração a fim de proteger a Terra, salvar a vida humana e o nosso projeto planetário. Portanto, o momento ecológico deve atravessar todos os saberes.
A 20 de dezembro de 2002, a ONU aprovou uma resolução proclamando os anos de 2005-2014 a Década da educação para o desenvolvimento sustentável. Neste documento, definem-se 15 perspectivas estratégicas em vista de uma educação para sustentabilidade. Referiremos algumas:
Perspectivas socioculturais que incluem: direitos humanos, paz e segurança; igualdade entre os sexos; diversidade cultural e compreensão intercultural; saúde; AIDS; governança global.
Perspectivas ambientais que comportam: recursos naturais (água, energia, agricultura e biodiversidade); mudanças climáticas; desenvolvimento rural; urbanização sustentável; prevenção e mitigação de catástrofes.
Perspectivas econômicas que visam: a redução da pobreza e da miséria; a responsabilidade e a prestação de contas das empresas.
Como se depreende, o momento ecológico está presente em todas as disciplinas: caso contrário não se alcança uma sustentabilidade generalizada. Depois que irrompeu o paradigma ecológico, nos conscientizamos do fato de que todos somos ecodependentes. Participamos de uma comunidade de interesses com os demais seres vivos que conosco compartem a biosfera. O interesse comum básico é manter as condições para a continuidade da vida e da própria Terra, tida como Gaia. É o fim último da sustentabilidade.
A partir de agora, a educação deve impreterivelmente incluir as quatro grandes tendências da ecologia: a ambiental, a social, a mental e a integral ou profunda (aquela que discute nosso lugar na natureza). Mais e mais se impõem entre os educadores esta perspectiva: educar para o bem viver que é a arte de viver em harmonia com a natureza e propor-se repartir equitativamente com os demais seres humanos os recursos da cultura e do desenvolvimento sustentável.
Precisamos estar conscientes de que não se trata apenas de introduzir corretivos ao sistema que criou a atual crise ecológica, mas de educar para sua transformação. Isto implica superar a visão reducionista e mecanicista ainda imperante e assumir a cultura da complexidade. Ela nos permite ver as interrelações do mundo vivo e as ecodependências do ser humano. Tal verificação exige tratar as questões ambientais de forma global e integrada. Deste tipo de educação se deriva a dimensão ética de responsabilidade e de cuidado pelo futuro comum da Terra e da humanidade. Faz descobrir o ser humano como o cuidador de nossa Casa Comum e o guardião de todos seres. Queremos que a democracia sem fim (Boaventura de Souza Santos) assuma as características socioecológicas, pois só assim será adequada à era ecozóica e responderá às demandas do novo paradigma. Ser humano, Terra e natureza se pertencem mutuamente. Por isso, é possível forjar um caminho de convivência pacífica. É o desafio da educação.
 

Arceburgo - Boas vindas


sexta-feira, 8 de junho de 2012

AMAR BIBLIOTECÁRIA É.... >

> "Somente os homens cultos e inteligentes amam as > bibliotecárias, já os ratos, as bibliotecas". > Amar Bibliotecária é... quando ela pergunta "Qual o assunto?" > e você responde "AMOR". > Amar Bibliotecária é... extasiar-se no conhecimento. > Amar bibliotecária é... todos os dias poder deleitar-se nas > mais linda páginas do amor. > Amar Bibliotecária é... automatizar as rotinas diárias > para dedicar-se aos desdobramentos da emoção. > Amar Bibliotecária é... guardar os livros na estante e > ela no coração. > Amar Bibliotecária é... viver um conto de fadas, dentro > de uma antologia romântica. > Amar Bibliotecária é... fazer da periodicidade de seus > carinhos o unitermo da vida em comum. > Amar Bibliotecária é... classificá-la no coração, > indexá-la na mente e encaderná-la nas mãos. > Amar bibliotecária é... registrá-la como entrada > principal, secundária e remissivas no seu coração. > Amar Bibliotecária é... legislar em comunhão a informação > da vida a dois. > Na era da Internet, ponha ordem nos seus documentos > eletrônicos. > Digitalize a Bibliotecária para o seu disco rígido. > Organize suas idéias. Instale uma Bibliotecária na > memória ROM dos teus pensamentos. Grave-a no disco rígido do seu > coração. > É o melhor antivírus contra a desinformação e o desamor. > > "Em mãos que carregam livros não cabem armas" (autor desconhecido) (1)Para enviar mensagem para a lista: bibamigos@yahoogroups.com (2)Para cadastrar-se: bibamigos-subscribe@yahoogroups.com (3)Para sair da lista: bibamigos-unsubscribe@yahoogroups.com (4)Endereço do administrador: bibamigos-owner@yahoogroups.com (5)Visite o site da CABi - http://welcome.to/cabi Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Como ler mais livros

ricardonasci2008@yahoo.com.br Como ler mais livros Posted: 05 Apr 2012 08:47 AM PDT Quantidade não é sinônimo de qualidade no que diz respeito à leitura, mas seguem algumas dicas minhas que vão ajudar você a ler mais livros: 1. Prazer Leia por prazer, não porque disseram pra você que o livro é bom ou porque você quer ficar mais culto. Tudo é consequência do prazer que você pode extrair da leitura. Se não está gostando de um livro, não se martirize. Tente outro. * Leia um artigo sobre a importância do prazer de ler * Como ler mais e a leitura não se tornar uma obrigação chata 2. Lista Faça uma lista de livros que gostaria de ler em determinado tempo e procure cumpri-la. Porém não se sinta culpado se não conseguir atingir suas metas. A lista é apenas um guia para você não perder o foco. * Que tal começar escolhendo através de uma lista de 100 livros essenciais? 3. Mais de um ao mesmo tempo Atualmente, eu tenho um livro para ler em casa, um para ler enquanto tomo café e outro que leio na cama, por exemplo. Um de bolso é ótimo para carregar por aí. Deixe um no porta-luvas do carro. * 9 dicas para ler todos os livros do vestibular em 30 minutos ou menos por dia 4. Leia livros pequenos Tamanho não é documento. Da mesma forma o número de livros que você lê também não diz quão bom leitor você é. Mas ler mais livros, dessa forma, pode motivá-lo a ler ainda mais, pelo efeito psicológico. * Algumas dicas de bons livros pequenos 5. Escolha um autor Se descobrir um autor de que gosta, leia tudo dele. O fato de ter gostado do autor vai ajudar a embalar seu ritmo de leitura * Desperte sua curiosidade: O que 30 autores diriam no Twitter 6. Relacione-se com um bom livreiro Tenha um bom livreiro, que saiba indicar livros e que o motive não só na aquisição de livros, mas também na leitura deles. Lembre-se: comprar livros, não é assimilar seu conteúdo e livro não é enfeite para sua estante. Isso é queimar dinheiro. Se você comprar livros bem indicados, as chances de conseguir efetivamente lê-los é maior * Leia aqui sobre uma experiência positiva que tive na compra de livros * As livrarias mais lindas do mundo 7. Filmes Filmes sobre livros, baseados em livros e na vida de escritores costumam motivar ainda mais a leitura de tais obras * Veja aqui uma lista de filmes sobre escritores e o mundo dos livros 8. Vá mais ao teatro O ambiente que favorece a cultura e a manifestação artística, indiretamente, motiva você a ler mais * Leia 10 motivos para ver ou ler Hamlet) 9. Livros baratos Eu gosto de comprar em sebos e, pela internet, uso muito a Estante Virtual. Mas não confunda livros baratos no preço com livros baratos na qualidade. Busque edições de qualidade. Traduções ruins e edições mal feitas podem acabar com o prazer da leitura * Leia 8 dicas para ler um livro com eficiência 10. Relacione-se com outros leitores pelo mesmo motivo pelo qual você deve se relacionar com um bom livreiro. Outros leitores motivarão você a conhecer novos autores e novos livros (Conheça o Skoob: uma rede social para leitores) 11. Leve um livro sempre consigo Assim você não perde nenhuma oportunidade para ler um pouquinho mais. Nem que sejam cinco minutinhos na fila do banco * Leia o post 221 dicas para aprimorar seu relacionamento com os livros) 12. Leia para seus filhos Além de ler mais, você estará incentivando o hábito. Se não tiver filhos, leia para seus sobrinhos, filhos de seus amigos ou, até, para outros adultos * 11 coisas que meus pais fizeram por mim e me ajudaram a gostar de ler 13. Todos os meios são válidos por exemplo, o site Leitura Diária encaminha para seu email um trecho curto, nos dias da semana que você preferir, um trecho bem curto de um livro que você escolher. Ao cabo de alguns meses você leu mais um livro * Conheça melhor o site Leitura Diária 14. Frequente bibliotecas Livros grátis, pessoas que gostam de livros e profissionais que estão ali para indicar os melhores livros. Quer mais motivos para frequentá-las e, assim, aumentar o número de livros que você lê? * Veja o post As Bibliotecas Mais Lindas do Mundo * Livros e afins __._,_.___ |